O ano era o longínquo 1894, ainda no século XIX, quando uma pequena tirinha intitulada The Yellow Kid, na revista Truth, de Nova York, foi o Big Bang das histórias em quadrinhos. Desde então, essa forma de expressão artística passou por diversas transformações e virou paixão de muita gente ao redor do mundo.

Tanto que, mais de 120 anos mais tarde, ainda é bastante comum encontrar interessados em saber como fazer uma história em quadrinhos. As incríveis maneiras de comunicação expostas nas HQs marcaram inúmeras infâncias, e apostamos que esse é o seu caso!

Cabrum, tic-tac! Continue conosco no texto e confira a origem e o desenvolvimento desse estilo de obra. E, de quebra, veja quatro dicas para se aventurar nesse universo fantástico!

Surgimento das histórias em quadrinhos

Já falamos sobre The Yellow Kid, primeira HQ de todos os tempos, segundo consta nos registros. Seu criador, Richard Outcalt, começou a fazer sucesso meses depois da publicação inicial na revista, em especial, a partir do espaço dado pelo então famoso jornal New York World.

O enredo abordava o dia a dia de uma criança que vivia na periferia de Nova York, trajando sempre uma camisola amarela, muito maior do que seu corpo pedia. A comunicação era baseada em gírias e outros elementos coloquiais, dando luz a temas sociais importantes, como o racismo.

Com o passar do tempo, as histórias em quadrinhos só ganharam força a nível mundial. Quem não conhece, por exemplo, a Mafalda? Criada em 1964, pelo grande cartunista argentino Quino, a garota se transformou em um sucesso para a eternidade. Carismática, ela impacta por seu pensamento crítico e humanista sobre a sociedade, mesmo com apenas seis anos.

Mafalda virou um símbolo nacional argentino em outros lugares, virando famosa até no continente europeu. Isso prova o poder das HQs, que também, é claro, chegaram com tudo ao Brasil. Nos primeiros anos do século XX, Renato de Castro publicou O Tico-Tico, na revista O Malho.

Já na década de 60, Ziraldo e a histórica Turma do Pererê trouxeram as cores aos gibis, com personagens criados a partir dos principais traços da cultura brasileira. Nos anos 70, Maurício de Sousa lançou A Turma da Mônica, pavimentando de vez um caminho já em evolução há muito tempo.

4 passos para saber como fazer uma história em quadrinhos

Se você é curioso, criativo, gosta de ler e detesta o tédio, já reúne as condições para poder criar uma rica HQ. Sério! Já pensou em desenvolver uma obra capaz de entrar no mesmo rol das que citamos no tópico anterior?

A seguir, listamos quatro dicas valiosas para que você entenda melhor o processo de criação de uma história em quadrinhos. Confira!

1. Comece com designs simples

Aqui, partimos da regra de que menos é mais. Afinal de contas, Goku e Naruto, por exemplo, sempre tiveram layouts bem simplificados. Por que você, iniciante, faria diferente?

Não se trata de incapacidade, mas, sim, de definição de prioridades. A vontade de criar uma história cheia de personagens e cenários bem trabalhados pode até ser tentadora, mas é importante manter os pés no chão e elaborar designs simples.

Isso facilita o processo de desenho e faz com que você consiga padronizar os quadrinhos, aproximando-os da realidade.

2. Defina os personagens

Criatividade é tudo: qualquer coisa pode virar um personagem de HQ. E a relevância dessa etapa é alta, já que os personagens são os responsáveis pelas vidas da história e por desenvolver vínculos com os leitores.

Traços de personalidade, gostos, estilo de se vestir e hábitos diários figuram entre os elementos que definem um personagem. Quanto maior a profundidade dada a cada um, maior é a chance da criação de uma proximidade com quem lê. Ou seja, evite lançar vários personagens sem a devida atenção a detalhes assim.

Deve existir um nível de hierarquia entre eles, deixando claro ao leitor o papel de cada um na trama.

3. Pense em um roteiro

Se já há vidas na história, é hora de elaborar o roteiro. Considerando o estilo da obra, as características dos personagens e o seu objetivo como produtor, pense em tramas envolventes e que entreguem algo interessante ao leitor.

É importante evitar rodeios, indo sempre direto ao ponto e criando pequenas indefinições ao longo dos quadrinhos, por exemplo. Antes de começar a escrever, desenvolva uma lógica capaz de guiar as decisões dos personagens e as respectivas consequências delas.

A partir daí, o leitor vai se envolvendo na história e criando gosto, mas isso também depende de alguns aspectos mencionados na sequência do post.

4. Finalize a história

Um enredo curto com um final bem fundamentado é muito melhor do que uma trama gigante, cheia de idas e vindas, sem conclusão. Finalizar a história consiste em peça-chave para saber como fazer HQs.

Afinal de contas, é o arremate dos eventos que justifica a atenção dada ao começo e ao meio deles.

Ferramentas de criação úteis

Talhas, requadros, balões, recordatórios, onomatopeias: esses típicos elementos de construção de histórias em quadrinhos desempenham papel fundamental para que o leitor se sinta envolvido e goste do enredo.

É importante, então, saber usar algumas das principais ferramentas disponíveis para produzir os efeitos de HQs. Entre elas, estão:

  • GoAnimate — ótimo para criar montagens de animações, esse site disponibiliza cenários, objetos já prontos e até mesmo personagens;
  • Pencil — o programa permite a produção de desenhos feitos à mão, como cartoons, e entrega boa qualidade no desenvolvimento de animações em 2D;
  • Pixton — personagens, expressões e cenários são os pontos fortes dessa plataforma, que oferece uma sala de reunião virtual, caso haja uma equipe, e opções avaliativas;
  • ReadWriteThink — vários templates estão disponíveis, com o usuário podendo adicionar personagens, balões e textos aos quadrinhos, além de imprimir a história no final;
  • Create Your Own Comic — para finalizar a lista, uma ferramenta específica da Marvel, baseada em personagens históricos, como Homem Aranha, Hulk e outros.

Conforme observamos, saber como fazer uma história em quadrinhos não é nada de outro planeta. Conhecendo a essência do modelo, você só precisa de disciplina para seguir os passos e, é claro, acrescentar sua dose de criatividade para produzir uma trama marcante e com alto potencial de sucesso!

Para continuar conferindo informações relevantes, aproveite a visita ao blog para entender o que é Rigging e como isso ajuda na criação de personagens!

Pin It on Pinterest

Share This